Se acrescentam substâncias vasodilatadoras periféricas, agentes vasoactivos, ativadores cerebrais, ativadores de neurotransmissores, neuroprotectores, neuroregeneradores, neuropeptídeos, hormônios e vitaminas. Na maioria dos casos, o instrumento de ação dos nootrópico é desconhecido. Acredita-Se que os nootrópicos funcionam ao transformar a disponibilidade de suprimentos neuroquímica do cérebro (neurotransmissores, enzimas e hormônios), a partir da melhoria ou ativação do metabolismo cerebral, ou estimulando o progresso neuronal (neurogénesis).

A palavra nootrópicos foi cunhado em 1972 pelo Dr. Corneliu E. Giurgea e deriva das expressões do grego “nous” (a mente) e “tropos” (endereço). O Dr. Giurgea em 1982, elaborou uma definição prática de nootrópicos. De acordo com esta definição somente se conseguem opinar nootrópico a piritioxina e o piracetam e seus análogos. Sendo esta a descrição conservadora, no entanto, no recinto acadêmico das neurociências como outros fármacos dentro da ordem, como a codergocrina, dihidroergotoxina, meclofenoxato ou centrofenoxina, vincamina, vinpocetina e naftidrofuril. O resto de substâncias, drogas, remédios e suplementos, com algum tipo de efeito psicoactivo, a maior parte das especificadas por essa postagem, não serão consideradas estritamente como nootrópicas.

Anteriormente, Skondia em 1979, sugeriu seis critérios básicos, quem sabe a descrição mais severa, em termos de atividade metabólica no cérebro, para definir os agentes nootrópicos. 1. Deve carecer de efeito vasodilatador direto. 6. Deve ter sido submetido a abundantes ensaios clínicos que estabeleçam o modo de ação farmacológico.

O efeito primário dos nootrópico é ampliar a atividade cognitiva do telencéfalo. Estas substâncias áctuan como estimulantes metabólicos do sistema nervoso central, facilitando a utilização da glicose, transporte de oxigênio, e a rotação de potência (equilíbrio entre o ADP/ATP).

  • Ser cidadão no exercício
  • Máquina específica para o polegar
  • O anúncio de que são “seguras”, ou “sem riscos pra saúde”.[27]
  • Mar.2010 | 22:53
  • Tempo de duração: uma semana (e não repeti-la)

Ainda não há consenso científico pela definição de nootrópicos e seu aparelho de ação tem que ser esclarecido na maior parte dos casos. Embora insuficiente se compreende o mecanismo neuroquímicas dos nootrópicos, e o entendimento dos mesmos requer uma aproximação multifácetica, por intermédio de disciplinas como a neuroquímica, farmacologia e psico-farmacologia.

Os nootrópicos se associam a outras drogas psicotrópicas: psicolépticos (hipnóticos, atípicos e ansiolíticos), novas delas (estimulantes do SNC, antidepressivos e nootrópicos, e psicodislépticos (alucinogénios como alguns opiáceos, LSD, e canabinóides. A eficácia das substâncias nootrópicas, pela maioria dos casos, não foi determinado conclusivamente.

Isso é complicado na complexidade de definir e quantificar a cognição e a inteligência. Neste sentido, os resultados clínicos são insensatos. Como exemplo, um estudo de meta-análise de 2002, que revisou a literatura científica de um dos nootrópico mais estudados como o piracetam evidenciou eficiência clínica superior ao placebo pro tratamento do declínio cognitivo. No tratamento das demências são utilizados diferentes promessas terapêuticas, bem que algumas delas não têm demonstrado tua efetividade ou esta é limitada. Entre os diferentes grupos de fármacos utilizados vasodilatadores, estimulantes do metabolismo neuronal, hormônios e vitaminas, fortificantes ou antagônicos de alguns neurotransmissores, quelantes, nootrópicos, neuropeptídeos, e psicofármacos.

Normalmente, os nootrópicos executam a tarefa de elevar a fonte de compostos neuroquímica do cérebro (neurotransmissores, enzimas e hormônios), melhorando o suprimento de oxigênio para o cérebro, ou estimulando o crescimento neuronal. A maioria das substâncias nootrópicas são encontrados nos alimentos ou componentes de plantas, ervas, raízes, sementes, cascas, etc.) disponíveis em lojas de conveniência, e são utilizados como suplementos alimentares. Com alguns nootrópico os efeitos são sutis e graduais, tendo como exemplo, com a maioria dos indutores do progresso neuronal (neurogénesis), e poderá demorar semanas ou meses antes que se note cada melhoria cognitiva.

No outro extremo do espectro estão os nootrópicos que têm efeitos imediatos, profundos, e óbvios. Enquanto que os estudos científicos aturam algumas das vantagens demandadas, cabe notar que muitas das demandas atribuídas a uma certa diversidade de nootrópicos, e não foram testados formalmente, com disparidade de resultados nos estudos efectuados.

Em linhas gerais, se tenta fornecer ao organismo os precursores e co-fatores que você precisa para fornecer neurotransmissores. As melhorias nos níveis desses neurotransmissores melhora a concentração, o tema mental, a experiência do cálculo, a codificação da memória, criatividade, humor, e pode evitar, até mesmo curar a maioria das depressões. Os quatro principais neurotransmissores são acetilcolina, dopamina, noradrenalina e serotonina. Observa-Se que o exercício cardiovascular cumprido habitualmente também tem efeitos nootrópicos, aumentando a técnica do corpo pra fornecer oxigênio pras células do cérebro e estimulando a expressão do fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF). O exercício é altamente sinérgico com a suplementação alimentar. As drogas nootrópico estão normalmente disponíveis por prescrição ou por importação pessoal.