As férias tornaram-se para muitos espanhóis, sinônimo de viajar. Já não tem de um amplo orçamento pra percorrer o universo, sondando cidades e maneiras de viver diferentes. Hoje temos infinitas fórmulas pra fazê-lo. O resto -desfrutar a viagem – corre de sua conta.

Em boa fração da Europa, a vida gira em torno do mar e não só no sul, contudo bem como no norte. Neste porquê, propomos-lhe que colocar teu espiar para a península escandinava, pra deslocar-se Atrás da claridade de Helsinki, capital jovem e prática, às margens do mar Báltico.

Algo mais ao sul, dessa vez pela Alemanha, se descobrimos Hamburgo, cidade de 1 mil e uma ponte, um espaço que tem crescido no decorrer da história conectado ao comércio marítimo nas águas do mar do Norte. Ao sul, o Mediterrâneo nos oferecem lugares incríveis. Para aqueles que pela hora de viajar, que se interessem por aspectos relacionados com a restauração, que mais do que consultar o trajeto gastronômica por Gante, Bruges e Antuérpia, um conjunto de propostas que com certeza lhe serão relevantes.

  • A. Rodríguez G. de Ceballos. O século XVIII. Entre a tradição e a academia. Madrid: Sílex, 1992
  • SUBIR A UM CAIAQUE Para Explorar AS GRUTAS DO ALGARVE
  • seis Praia Cofete, Fuerteventura
  • Susana Rinesi: flauta – Mercedes Sosa fez uma versão dos seus discos
  • 1 Dohko de Libra
  • O período das Estações, que relata a marcha do mundo, segundo as leis da Natureza

Sem abandonar totalmente o continente, um dos destinos mais atraentes do Oriente médio, o encontramos em Istambul, entre a Ásia e a Europa, uma cidade multicultural e cuja fortuna arquitectónica não deixa ninguém indiferente. Como também não o fará, a capital econômica e cultural de Israel, Tel Aviv, a cidade que nunca dorme, convertida em alter-ego de Jerusalém, pega o turista, sem a suposição de opor resistência. Na área oferecemos assim como a reportagem Jordânia, além de Petra, em que você descobrirá que a nação é muito mais do que a cidade escavada na pedra; é uma mistura de modernidade, tradição, meio ambiente e paisagens de retirar o fôlego.

Sensações parecidos as poderá perceber em Marrocos, sondando o Passado e o presente em Marrakech. Existem várias cidades dos Estados unidos comuns nas guias de viagens, e outras que, apesar de serem muito conhecidas, não estão na primeira localização pela tabela de destinos, algo que, entretanto, as torna ainda mais apetecíveis. Uma delas é a de Chicago, a terceira cidade mais populosa do nação, que apresentamos na reportagem Chicago, blues e arranha-céus na Cidade do Vento. A outra é a multicultural Nova Orleans: a cidade encantada da América do norte, centro de música, espiritualidade, magia e paixão. Pros que sonhem com praias paradisíacas de águas cristalinas conseguem aproximar-se de Cancún, no coração do Caribe mexicano, e combinar em partes semelhantes, cultura, meio ambiente e diversão. E nos perguntamos Viajar para a Corunha ou Vigo? E por que não os dois? Ainda temos várias mais propostas, por aqui nós damos-lhe muitas ideias que conseguem te inspirar na alternativa do seu destino.

Vacilé antes de abrir a porta. As cortinas estavam flutuando sem rumo, despavoridas e sobre o teu leito, meu conhecido estava com os olhos vidrados e o corpo humano inerte, sem vida, acompanhado por ela. Muito silêncio, pensava enquanto me aproximava pro rio.

Olhava furtivamente para a esquerda e pra direita e avançava sigilosa. Dois olhos incrustados na noite confirmaram os meus temores. Meu olhar se se contorceu, se tensaron meus músculos. Tinha pensado muito sobre isto, eu sabia que mais cedo ou mais tarde precisará desafiar este instante, e entretanto não fui qualificado de sonhar, minha mente está nublado e deitei a correr.

Corri dessa maneira que pôde, sem assistir para trás, ele sentia perto, muito perto. Caí no chão e voltei a me levantar. Seu suspiro é incrustaba nos meus ouvidos paralisando minha mente, senti tua sede de sangue, o meu sangue. Foram segundos intermináveis, no entanto em conclusão o parou exausto e a poucos metros de eu parei bem como. Não podia mais, tinha o rosto contorceu, minha perna sangrava. O pavor e o empenho volumoso não me deixavam raciocinar, giré a cabeça e vi 2 novos olhos olhando para mim, avancei quanto pude, contudo um zarpazo sobre o assunto meu peito, me parou e me fez despencar. Senti como se avalanzaban sobre isto mim. Suas garras afiadas rasgaban minha pele como o papel e os seus dentes se afundaram em meu pescoço, sufocando um grito desesperado.

Horas depois a risada da hiena surpreendeu a savana completando o ritual de sangue e miudezas. Acho que entrou na Igreja quando tinha começado de imediato a homilia. Quando o Pai Urrutia esclarecer a metáfora do Inferno. Dizia que tudo tinha sido uma imagem benéfico, uma maneira de esclarecer o mal está em cada um da gente. Esqueçamos o fogo infinito, e as caldeiras – Dizia. Creio que seguiu com atenção o raciocínio e até mesmo acenou com a cabeça quando do púlpito se ridicularizou a crença em um ser repugnante capaz de apadrinhar maneiras horríveis. Não continuemos crendo em urupema lendas medievais – Declarou o Sacerdote.